Carta do Papa Francisco
por ocasião do Jubileu de 100 anos na América

Ao Revdo. Padre José Antonio Nieto Sepúlveda
Prepósito Geral da Ordem dos Clérigos Regulares Somascos

 

Por ocasião do primeiro Centenário da Missão Somasca na América, desejo transmitir a minha cordial saudação a vós e aos Irmãos. Participo da vossa alegria neste importante aniversário: a chegada dos primeiros padres somascos em 1921 a La Ceiba, na periferia de San Salvador, significou uma guinada. Pela primeira vez a vossa Ordem ultrapassou as fronteiras italia-

header-biografia-papa-miniatura-519302_1056-648-0-0.jpg

inas, abrindo-se a um empreendimento missionário, ao qual outros semelhantes teriam sucedido nas décadas seguintes, na Europa, América, África, Ásia e na Austrália. Por isso, é justo celebrar este ano jubilar missionário para fazer memória, para render graças ao Senhor e pedir-lhe com confiança que abençoe a Congregação, fazendo-a florescer no impulso missionário.   

Quando, em 1921 o Padre Antônio Brunetti e seus quatro companheiros chegaram a La Ceiba para abrir a escola correcional para menores, sendo pioneiros, estavam conscientes das novidades e das dificuldades que teriam que enfrentar. Por outro lado, foram amparados pela reconfortante certeza de seguir as pegadas traçadas quatro séculos antes por São Jerônimo Emiliani: o carisma da Ordem Somasca, de fato, consiste em assumir o cuidado dos últimos, especialmente dos órfãos e da juventude abandonada.

Aquela missão foi encorajada pelo estímulo exercido pela Carta Apostólica Maximum Illud do Papa Bento XV, que em 1919, depois da Primeira Guerra Mundial, revalorizou evangelicamente a missão ad gentes, reafirmando que não se trata de uma opção, mas sim uma tarefa imprescindível da Igreja. Agora, um século após a chegada do Padre Brunetti e seus quatro companheiros na América, podemos dizer que Deus recompensou amplamente aquela corajosa disponibilidade evangelizadora, tanto que grande parte dos somascos dos últimos oitenta anos provêm dos países alcançados pela Ordem depois da experiência missionária de 1921.

Por isso, peço de bom grado ao Senhor que vos dê uma abertura contínua e uma nova graça missionária, e que - seguindo o exemplo de São Jerônimo Emiliani - cada passo vosso em favor da juventude necessitada nasça da contemplação de Jesus Crucificado. Que a luz que emana do seu rosto vos ilumine, tornando-vos capazes de ver com compaixão e intervir de braços abertos onde surgem os dramas dos jovens, que sofrem mais do que outros as crises atuais, e, de maneira especial - como tive ocasião de dizer-vos em março de 2017 - dos envolvidos nas migrações, muitos dos quais, chegando à Europa ou a qualquer outro lugar sem a presença dos pais, experimentam quase a mesma solidão e os mesmos perigos que os órfãos.

Com estes sentimentos a todos vós, às congregações femininas inspiradas na espiritualidade de São Jerônimo Emiliani, que vos oferecem uma preciosa colaboração em muitas terras de missão, bem como ao Movimento dos Leigos Somascos, que é também parte do vosso compromisso ad gentes, de bom grado concedo a Bênção Apostólica, pedindo-vos o dom da vossa oração.

Roma, São João de Latrão, 20 de setembro de 2021
Papa Francisco